Magic Kingdom em Orlando, Estados Unidos

A entrada do Magic Kingdom foi toda pensada conforme as lembranças do pequeno Walter Disney quando morava na pequena cidade de Marceline, no estado norte-americano de Missouri.

No Brasil, há uma certa confusão entre Magic Kingdom e Disneylândia, pois na verdade os dois são a mesma coisa, sendo o Magic Kingdom a réplica maior, mais moderna e atualizada da Disneylândia da Califórnia. O Magic Kingdom está dividido em sete terras de diversão, são elas: Main Street USA (Rua pri ncipal), Adventureland (Terra da Aventura), Frontierland (Terra da Fronteira), Liberty Square (Praça da Liberdade), Fantasyland (Terra da Fantasia), Mickey’s Toontown Fair (Cidade do Mickey) e Tomorrowland (Terra do Amanhã). Genérico 728x90 Quatro locomotivas circulam em torno do Parque que foram chamadas de: Walter Elias Disney (em homenagem ao homem que imaginou e construiu a Disney), Lilly Belle (esposa de Walter), Roy O. Disney (irmão de Walter que sempre estava por trás financiando suas ideias) e Roger Broggie (funcionário do Parque e amigo de Walter construtor de locomotivas). Do estacionamento até a entrada do Magic Kingdom é um quilômetro e meio. Ao estacionar seu carro é importante decorar o ponto de localização porque o espaço é enorme e bem parecido um com o outro, afinal são 12 mil vagas no estacionamento e se você ‘perder’ seu veículo vai demorar um pouco para encontrá-lo. Por questão de segurança, está proibida a entrada de “paus de selfie” no Parque, avisos como este estão logo no estacionamento, quando o visitante é conduzido em ‘trenzinhos’ até a estação de monorrail e ferryboat - pontos de saída para a entrada do Magic Kingdom. Para evitar filas na compra do ingresso e perda de tempo, o ideal é chegar no parque já com ingresso no bolso. Algumas agências de viagens, como a Seu Destino Viagens e Turismo, já enviam os ingressos diretamente para o hotel onde vai ficar hospedado o visitante. Em Orlando, hotéis como o Clarion Inn Lake têm esse sistema de recebimento de ingressos dos hospedes e ainda oferecem serviço de transporte de graça para os parques – uma economia a mais na viagem.

728x90

A entrada do Magic Kingdom foi toda pensada conforme as lembranças do pequeno Walter Disney quando morava na pequena cidade de Marceline, no estado norte-americano de Missouri. Lá situam-se os bancos, em que no começo do século XX, os funcionários usavam ligas nas mangas e hoje foi transformado em uma loja; a Main Street Galery, que abriga a Disney, clube de colecionadores de peças Disney espalhadas pelo mundo; o City Hall (prefeitura), que funciona como centro de informações aos visitantes; o Corpo de Bombeiros, réplica do prédio da Disneylândia, onde Walt Disney tinha seu apartamento no começo da sua carreira e onde surgiu sua inspiração para a criação do Mickey Mouse. Do outro lado está o museu Disney onde está o Câmera Center e o Museu da Fotografia, onde são vendidas máquinas fotográficas, filmes e baterias. Ali bem próximo, ligando os três prédios, fica uma larga varanda com bancos e cadeiras de balanço, uma charmosa loja de chapéus e um bonde puxado a cavalo que percorre a Main Street USA. Main Street USA Ao caminhar por esta avenida, lá ao final, o visitante vai se deparar com o castelo da Cinderela. O percurso, são de casas que simbolizam o comércio da cidade de Kansas do começo do século XX. Ali se encontram o empório, tabacaria, confeitaria, lanchonete, a casa de mágicas (hoje uma loja de roupas esportivas), o barbeiro, o salão de jogos... tudo construído e moldado conforme a memória de Walter Disney quando criança. Que desde essa época sonhava em ser desenhista e apanhava muito do pai por causa desses sonhos. CURIOSIDADE: Um dia, quando houve o lançamento do primeiro filme Cinderela, o pai de Walter tinha dado à ele margarinas para vender e ao passar pela porta do cinema, se encantou e ingressou para assistir ao filme. Ali passou muito tempo e o pai dele quando dera conta, suspeitou onde o filho estava. Foi em busca de Walt Disney que já estava com a manteiga estragada e ainda apanhou bastante por causa disso. Mais à frente, quando adulto, redesenhou a mesma história de Cinderela nos moldes de sua criatividade para o cinema como em sua imaginação e, com isso, entrou para a história como o filme de maior bilheteria da história do cinema. Walt Disney era produtor, não desenhava, mas tinha seus próprios artistas que desenhavam seus filmes animados e consequentemente a estrutura que seria hoje a Disney. O parque foi projetado como se fosse uma série de cenários contínuos em que as pessoas circulariam em verdadeiros ‘teatros de imersão’. Nas janelas das casas de Main Street, estão gravados os nomes de pessoas que marcaram a vida de Walter Disney como se fossem créditos de um elenco principal que realizara seu sonho. A primeira janela da rua está a frase que é lema de tudo sonhado por Walter que diz: “If you dream it, you can do it.” (Se você pode sonhar, você pode realizar). Já o nome Walter Disney está estrategicamente colocado na última janela virada para o Castelo da Cinderela, em cima da sorveteria Ice Cream Parlor. Assim que entra pela Main Street o visitante irá receber o mapa de todo o Parque em que percebe-se o Castelo da Cinderela como ponto central e de referência. Da praça central que fica diante do Castelo se vê saídas semelhantes à raios de uma roda de bicicleta que dão acesso à seis restantes do Parque.   CURIOSIDADE: Ao pensar no Parque, Walt Disney queria construir um espaço organizado e limpo em que os pais levassem seus filhos e pudessem passar todo o dia lá. Se estivessem cansados, pudessem deixar seus filhos brincando à vontade e no final pudessem ter um ponto de referência para o reencontro, que nesse caso, seria o castelo, que é o centro do Parque Magic Kingdom. Em frente ao Castelo existe uma praça florida onde está uma escultura em tamanho natural de Walt Disney de mãos dadas com o Mickey Mouse – o criador e criatura. Outra escultura é encontrada no Parque a de Roy Disney sentado em um banco ao lado da Minnie. Roy era um dos irmãos mais velhos e mais próximo de Walt. Era ele quem acreditava nos sonhos de Walt e angariava financiamentos para seus sonhos. O grande responsável pela construção do Disneyworld. As duas obras foram criadas por Blaine Gibson, nascido em 1918, único artista do planeta a reproduzir a imagem de Walt Disney. Ele morreu em 2006, aos 88 anos. Depois dele, nenhum outro artista foi autorizado a reproduzir a figura de Walt Disney. Na Main Street existem 5 restaurantes, 17 lanchonetes, incluindo fast foods, sorveterias e etc., food cars, 38 lojas temáticas que oferecem produtos de cada terra da diversão. Os mais de 60 mil funcionários do Parque não são vistos circulando entre os visitantes de uma terra para outra nem os caminhões que abastecem os restaurantes são visualizados, isso faz parte de um dos critérios de qualidade de serviço da Disney em manter a magia ao público. Isso se dá porque o parque foi construído no segundo andar e os túneis ou ‘Utilidors’ foram construídos no nível normal para ‘esconder’ essa realidade e fazer fortalecer a magia do parque. Fotos nos túneis são proibidas, apenas os funcionários têm permissão para ter acesso e caso algum deles registre o local, é demitido.

Especiais relacionados

Newsletter

Assine agora e fique por dentro de todas as nossas novidades!