Conheça conosco a Trilha Antiga de Machu Picchu, Peru

Para se chegar à Machu Picchu existe várias formas. Uma opção é fazer a pé a Trilha inca, ou seja, vivenciar o trajeto feito pelos povos andinos até a cidade perdida.

08/05/2017

Quando chegamos em Cusco, cidade onde se concentra a maior parte dos turistas que querem conhecer Machu Picchu, conversando com alguns peruanos, eles diziam que o lugar é sagrado e oferece uma energia diferente e mágica que envolve quem a visita. Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas, em língua quéchua significa “montanha velha” foi declarada pela Unesco como Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade e em 2007, foi eleita com uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. A cidade está a 112 quilômetros de Cusco e 2.350 metros acima do nível do mar. Como chegar De Lima para Cusco, há voos diretos pelas empresas Lan (0800-7610056, www.lan.com) Star Perú (1/213-8813, www.starperu.com) e Taca (0800-761822, www.taca,com). O aeroporto Alejandro Velasco Astete fica a menos de 4 quilômetros da cidade. Os táxis em Cusco são bem em conta, coisa de 10 reais do aeroporto para o centro da cidade. Ao desembarcar, os peruanos que trabalham com turismo abordam os visitantes com o objetivo de oferecer estadias. Os preços são bem em conta e tem de vários valores, a partir de 50 soles. Encontramos com brasileiros que chegaram a pagar 25 soles (25 reais) por pessoa. A dica é não fechar estadia no aeroporto e sim na própria cidade, pois a oferta é grande. 1º dia Cusco fica a 3.500 metros acima do nível do mar, por causa disso, muita gente adquire o que os peruanos chamam de ‘mal das alturas’. Lá tem farmácias com remédios específicos para esse mal-estar que inclui vômitos, diarreias, tonturas, mas uma opção natural é ingerir muito chá de coca. Por causa da altitude, qualquer atividade física cansa. Desde tirar a mala do carro até andar alguns metros, você já sente um cansaço. A coca previne esses sintomas e é oferecido em toda pousada, hotel ou hostel da cidade de graça. Abuse do chá e evite comer carne vermelha ou ingerir bebida alcoólica no primeiro dia na cidade. Se arriscar, poderá passar mal e o passeio vai ser um problema. Visitação A procura por Machu Picchu passou a crescer exageradamente desde a descoberta científica da cidadela inca que foi anunciada pelo historiador americano Hiram Bingham em 1911. O fluxo grande de turistas elevou o grau de degradação do sítio, por isso o governo peruano vem limitando a 2.500 pessoas que visitam o local por dia. Para quem viaja com agências, elas providenciam a reserva para ingresso às ruínas, mas os independentes o deverão fazê-lo com antecedência pelo site MachuPicchu.gob.pe . O site só aceita cartão visa. Ao comprar o ingresso, o site disponibiliza varias opções: Machu Picchu, Machu Picchu + Huayna Picchu e Machu Picchu + Montaña. Ao comprar Machu Picchu você terá acesso apenas á cidade. Huayna Picchu significa "jovem cerro", é uma montanha ao norte do monumento histórico com 2.720 metros de altura. É bem conhecida por ser o fundo da maioria das fotos panorâmicas de Machu Picchu. Opções de Viagem Para se chegar à Machu Picchu existe várias formas. Uma opção é fazer a pé a Trilha inca, ou seja, vivenciar o trajeto feito pelos povos andinos até a cidade perdida. A caminhada é exaustiva e dura em média quatro dias. O visitante cruza montanhas como Warmiwañusqa e Runkuraqay, que chegam a 4.200 e 3.860 metros acima do nível do mar. O passeio também pode ser feito de trem, geralmente é o mais popular. O serviço é operado pela Peru Rail (www.perurail.com) e pela Inca Rail (www.incarail.com). Cada empresa oferece três opções de trem todos os dias entre Cusco e Águas Calientes, com diferentes categorias e preços, por isso é bom pesquisar antes de escolher a empresa. Nós decidimos aventurar e fazer o passeio de forma mais ‘nativa’. Optamos por vans que cobram um valor atrativo se comparado com os trens por exemplo. A locomotiva apesar de cobrar um valor mais alto, porém o turista terá conforto de ganhará tempo, já nas demais opções, o trajeto é mais longo e cansativo. Aí vi depender de seu intuito na viagem: se com emoção e aventuras ou direta e confortável. Nessa reportagem acima mostramos o trajeto que escolhemos para chegar à Machu Picchu. Saímos bem cedo do hotel e fomos à um terminal de vans onde os peruanos se deslocam para as cidades circunvizinhas à Cusco. Obtivemos boas economias e boas aventuras. Melhor época para visitar: Em Cusco, há duas estações, a seca (abril a outubro) e a chuvosa (novembro a março). Já para visitar Machu Picchu o ideal é planejar a viagem para abril, maio, junho, setembro e outubro. Nos demais meses chove ou tem turista demais. Outra dica é evitar ir aos domingos, pois há uma quantidade maior de visitantes devido aos peruanos terem uma tarifa especial. Em fevereiro a Trilha Inca é fechada devido às fortes chuvas, Machu Picchu não é fechada, isso só ocorre quando a chuva é muito forte e pode provocar riscos aos visitantes e aos monumentos. Nos meses de junho, julho e agosto, a temperatura pode cair abaixo de 0°. Infelizmente o tempo castigou a cidade e atualmente apenas 30% de Machu Picchu é de construção original, o restante foi reconstruído para atender à demanda turística, afinal hoje Machu Picchu é o local mais visitado de todo o país. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras. A construção original é formada por pedras maiores e com encaixes com pouco espaço entre as rochas. Depois de caminhar até Águas Calientes, se você tiver disposição, melhor horário para ir à Machu Picchu é ir bem cedo. Muitas pessoas levantam às 4 da manhã, colocam o café-da-manhã na mochila e seguem para a fila dos ônibus antes das 5 da manhã, pois nesse horário já tem fila para os ônibus que começam as operações às 5h30. Além de ter ver o espetáculo da natureza com os primeiros raios de sol iluminando a cidade antiga, Machu Picchu vai estar vazia e você poderá fazer uma visitação mais tranquila. A subida de ônibus é opção da maior parte das pessoas que estão em Águas Calientes e querem seguir para Machu Picchu, mas nós decidimos fazer a caminhada Inca, refazendo o trajeto dos povos andinos até a cidade Sagrada. A experiência é única e não paga o conforto dos ônibus. É extremamente cansativa, mas recompensadora pela vivência, paisagens e contato com a história durante o percurso. O que levar para Machu Picchu? Quando você sai do hotel para seguir até Machu Picchu pela manhã bem cedo é muito frio, mas ao passar das horas, o sol esquenta o lugar e você vai deixar de lado as roupas de frio. Vá com um tênis confortável, roupas leves, uma bolsa contendo água e um lanche leve com frutas (não dispense os alimentos, pois lá os preços são bem altos), não esqueça do protetor solar (ou camisas com proteção solar), óculos de sol e um chapéu/boné. A antiga cidade fortificada dos Incas foi erguida em blocos de rochas que pesam mais de 50 toneladas. Os jardins em diferentes níveis são ligados entre si por mais de três mil degraus. Estima que a cidade foi habitada por cerca de 10.000 pessoas, mas não se sabe ao certo se Machu Picchu era uma fortaleza, palácio ou uma cidade.

Especiais relacionados